Translate

Search

.

Content

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Um pouco mais de sal, por favor!

 

“Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens.”Mt 5.13

Atualmente vejo o quanto ainda precisamos aprender sobre o que significa ser o sal da terra. E isto eu falo: começando por mim!
Muitos de nós, ainda carrega uma dupla personalidade; uma cara, um comportamento para cada lugar em que estamos, por exemplo. Não sabemos o poder que carregamos dentro de nós. É necessário que este sal ganhe sabor e se espalhe tomando seu devido lugar no mundo, na terra!


E ainda não entendo também, porque há tanta resistência em nós cristãos e não cristãos quanto à ligação de outros cristãos no poder público, por exemplo.
Isto me incomoda sobremaneira, a partir do momento em que leio a história de Nabucodonozor e vejo o quanto ele fez em seu tempo, a partir do momento em que deixou ser usado por Deus e aqui não falo de religiosidade; falo de disciplina, compromisso e justiça.

Hoje mais do que nunca, precisamos de um salzinho na nossa política, na nossa música popular brasileira, na nossa mídia: TV, Internet, Revistas, nas nossas escolas, nas nossas Cidades e Bairros e está mais do que na hora deste sal se espalharrrrrrrrrrr. Porém, muitos daqueles que tem se dedicado a isso, não são compreendidos.

Infelizmente existe muito sal insosso por aí e por conta disto, hoje são pisados pelos homens...E pela mídia também!
A mídia, por sua vez, tem desempenhado muito bem o seu papel maquiavélico:tem feito de tudo para abafar a igreja, por se tratar de uma voz poderosa.

Quando a bíblia diz que nós somos o sal da terra, não nos coloca numa posição de superioridade muito menos de privilégio, pelo contrário, ressalta a importância de nossa função que atinge todas as esferas de nossa sociedade.

Estive meditando hoje e vejo que:

O cristão não deve ser aquele que divide, mas o que multiplica.
Não deve ser aquele que critica, mas aquele que acolhe.
Não deve ser aquele que maldiz, mas o que abençoa.
Não deve ser aquele que magoa, mas aquele que perdoa.
Não deve ser aquele que exclui, mas aquele que integra.
Não deve ser aquele que mente, mas o que preza a verdade.
Não deve se destacar pelo muito falar, mas pelo muito ouvir.
Não deve ser aquele que julga, mas aquele que ama...
Não deve ser igual ao mundo, mas igual a Cristo!
Enfim, será que estamos distantes disso?
O que nos falta ainda para sermos reconhecidos como o verdadeiro sal da terra?

Acha que é "mania de espiritualizar as coisas"? Nada disso!
Um sal para nada mais serve, senão para salgar!
Então vamos botar sal no mundooooooooo.

Vai um pouquinho de sal aí?
esta reflexão foi escrita no blog ideias-abertas.blogspot.com em 23 de Janeiro de 2009 


0 Comente AQUI:

OBRIGADA PELA VISITA

Autora

Leitores